Categoria:

‘Dinheiro esquecido’: com menos de 5% resgatados, R$ 5,7 bilhões seguem disponíveis, diz Banco Central

[ad_1]

Sistema para solicitação dos valores está ativo há uma semana. Maior valor sacado por uma única pessoa foi de R$ 750 mil, no dia 8 de março. Notas e moedas de real. Natalia Filippin/G1 Os saques de dinheiro esquecidos em instituições financeiras somam R$ 285,1 milhões em uma semana, informou o Banco Central do Brasil nesta terça-feira (14). Apesar de expressiva, a cifra representa apenas 4,8% dos R$ 6 bilhões em valores a anunciados pela instituição. Até o momento, 4,2 milhões de pessoas físicas e empresas solicitaram a devolução de recursos por meio do Sistema de Valores a Receber (SVR), de acordo com balanço parcial do BC. Com os resgates, cerca de R$ 5,7 bilhões seguem disponíveis. O maior valor sacado por uma pessoa física foi de quase R$ 750 mil, no dia 8 de março. Por pessoa jurídica, o resgate mais alto foi de R$ 252,3 mil, no mesmo dia. De acordo com o BC, o SVR permanecerá aberto para todos, sem permanência programada, para o resgate de valores no sistema financeiro. “Independente do montante, o recurso pertence ao cidadão e deve a ele ser devolvido”, afirmou, em nota. Ao todo, 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas têm cerca de R$ 6 bilhões a resgatar. A página para consulta inicial de dinheiro esquecido está ativa desde o dia 28 de fevereiro. Já o sistema para saque está no ar desde a última terça-feira (7). Veja abaixo os destaques da primeira semana. Fila para resgates A fila virtual para saques do dinheiro esquecido chegou a 300 mil pessoas na primeira manhã, logo após a liberação do sistema. A estimativa de espera para acesso ao SVR, do Banco Central do Brasil, chegou a duas horas, e os usuários enfrentaram instabilidades para requisitar os valores. Em alguns momentos, o site orientou o usuário a voltar mais tarde. O congestionamento do sistema foi bem menor nos dias seguintes. Memes nas redes sociais As grandes filas geraram piadas na internet. “Entrei na fila desse negócio de valores a receber do banco central e tem mais de 200 mil pessoas na minha frente, repare só chegar quando minha vez e dizer la que eu vou receber 5 reais”, escreveu um dos usuários. Situação semelhante à da diarista Erica Santos Ferreira, de 37 anos. Ansiosa para descobrir a quantia e fazer a transferência, ela relatou ao g1 a queixosos ao se deparar com apenas R$ 0,01 para resgatados. “Fiquei uma hora na fila e, para a minha surpresa, eu tinha apenas um centavo. Eu imaginei que o valor não fosse tão grande, mas um centavo é meio que sacanagem”, conta Erica. Os ‘sortudos’ O empresário Samuel Mendes, de 39 anos, encontrou o maior valor entre os personagens encontrados pelo g1: R$ 4.267,45. Mais curioso: ele revelou que na primeira edição do SVR, no ano passado, encontrou a soma de R$ 1,91. Ele voltou ao SVR depois de ser alertado por amigos que uma nova consulta seria liberada. “Eu havia me esquecido de um consórcio que tinha comprado e desistido, há mais de cinco anos. O valor pago seria restituído somente no fim do grupo. E agora, estou feliz com essa novidade. Vou investir no meu escritório que estou renovando após a pandemia”, conta Samuel. O carioca Pedro Delforge, de 26 anos, é outro “sortudo”. Ele conto ao g1 que foi pego de surpresa com quase R$ 3 mil a resgatado. Delforge foi o primeiro a ser localizado pela reportagem dentro das 643.105 pessoas que têm mais de R$ 1 mil a receber — o que representa 1,37% do total mapeado pelo Banco Central. “Entrei no sistema por desencargo de consciência. Achei que tinha uns 10 centavos, mas tinha R$ 3 mil”, afirmou. Maior valor solicitado Uma única pessoa física sacou quase R$ 750 mil em 8 de março, segundo dia após a liberação do sistema do Banco Central. O valor superou a maior cifra solicitada até então, de R$ 328 mil, na terça (7). Nos três primeiros dias de resgates, os três maiores saques por pessoas físicas somaram quase R$ 1,4 milhão, informou o BC. Ainda não resgatou seu dinheiro? Confira o passo a passo Se você já confirmou que possui recursos a receber (veja como fazer), atente-se à próxima etapa, que é o pedido de transferência do dinheiro. Antes do passo a passo, é importante ressaltar que, via sistema do Banco Central, os valores só serão liberados para aqueles que fornecerem uma chave PIX para devolução. Caso não tenha uma chave cadastrada, você precisará entrar em contato com a instituição para combinar a forma de recebimento. Outra opção é criar uma chave e retornar ao sistema para fazer a solicitação. 1 – Não custa fortalecer: a primeira etapa é saber se você tem valores a receber. Isso é feito pela página www.valoresareceber.bcb.gov.br. O BC ressalta que este é o único site disponibilizado para consulta. O Sistema do BC é o único disponibilizado para consulta. Reprodução/Banco Central 2 – Após clicar no botão da imagem acima, você será encaminhado para consulta pública. Nessa etapa, é preciso preencher os campos com CPF e dados de nascimento. No caso de empresas, a busca é feita pelo CNPJ e dados de abertura do negócio. Primeiro passo é saber se você tem dinheiro a resgatar. Reprodução/Banco Central Caso tenha valores a receber, a tela irá indicar o terceiro passo. Em caso contrário, o sistema irá sugerir uma nova consulta em outro momento, após possíveis atualizações de dados encaminhados por instituições ao BC. 3 – Confirmado que há dinheiro a salvo, você será encaminhado para uma nova página do SVR. De acordo com o BC, esse sistema é semelhante à compra de ingressos. Ou seja, se houver acessos simultâneos acima da capacidade, você permanecerá em uma sala de espera virtual esperando sua vez. BC terá ‘sala de espera’ caso o sistema seja sobrecarregado. Reprodução/Banco Central 4 – Na sequência, é preciso fazer login com a conta gov.br. Não tem? Saiba criar uma. A criação da conta gov.br é gratuita. O cadastro pode ser feito pelos seguintes caminhos: Site Acesso (https://sso.acesso.gov.br) App gov.br (link iOS ou link Android) Conta gov.br é necessária para resgate de ‘dinheiro esquecido’. Reprodução/Banco Central 5 – Nessa etapa, você será encaminhado para o valor a receber, seja pessoa física ou jurídica. Página também leva à consulta de pessoas falecidas. Quinto passo irá levar à consulta de valores a receber. Reprodução/Banco Central 6 – Você precisa aceitar o Termo de Ciência para esperar no sistema. É preciso selecionar o quadradinho abaixo e clicar em “confirmar”. O usuário terá que aceitar o Termo de Ciência. Reprodução/Banco Central 7 – A tela seguinte espera as seguintes informações: montante a receber; nome e dados da instituição que deve devolver o valor; origem (tipo) do valor a receber; informações adicionais, quando for o caso. Nessa página, também será possível acessar os dados e solicitar diretamente a devolução para a instituição financeira. 8 – A última etapa é o pedido de devolução dos valores. Clique no botão “solicitar por aqui” e siga as orientações indicadas. Em seguida, selecione uma das suas chaves PIX e, caso deseje, informe seus dados pessoais. Nesse caso, a instituição devolverá o valor via PIX em 12 dias úteis após até a solicitação. O botão “solicitar por aqui” só irá aparecer, no entanto, caso a instituição na qual você tem dinheiro esquecido tenha firmado um termo de adesão com o Banco Central. Do contrário, o resgate não será feito diretamente pelo sistema do BC. O sistema irá apenas informar o valor a receber e em qual instituição está aquele recurso. Aparecerá, nesse caso, uma mensagem informando contatos oficiais (e-mail e telefone) para que você entre em contato diretamente com a instituição e combine a forma de devolução. Você tem dinheiro esquecido? Saiba como consultar no Banco Central Confira abaixo respostas para as seguintes perguntas: Há alguma novidade neste ano? É possível gerar um comprovante para tomar créditos? Quando o dinheiro será pago? Como não cair em golpes Há alguma novidade neste ano? Além de valores esquecidos em contas correntes, poupanças, cooperativas de crédito, consórcios e tarifas e empréstimos, o sistema do Banco Central agora mostra valores originados de contas de pagamento, corretoras de títulos e valores mobiliários. Neste ano, há também uma sala de espera virtual, que permanece aberta por prazo indeterminado, para confirmar o pedido do saque. Ou seja: não haverá, como no ano passado, necessidade de agendamento. LEIA TAMBÉM BC reabre consulta a R$ 6 bilhões esquecidos nos bancos Sistema do Banco Central tem 15 milhões de consultas em três dias Mais de meio milhão de pessoas têm acima de R$ 1 mil para receber O que acontece se eu não fizer o resgate do ‘dinheiro esquecido’? Segundo o BC, o sistema também ganhou mais transparência para quem tem conta conjunta. Se um dos titulares solicita o saque de dinheiro esquecido, o outro, ao entrar no sistema, conseguirá ver as informações da solicitação: valor, dados e CPF de quem solicitou. A consulta a valores de pessoa falecida ganhou acesso para herdeiro, testamentário, inventariante ou representante legal, e informará os dados de contato da instituição responsável pelo valor e a faixa de valor. É possível gerar um comprovante para tomar créditos? Sim. Ao acessar o Sistema de Valores a Receber (SVR), a partir desta terça (10), você poderá gerar um comprovante. O documento é gerado com um número de protocolo e o valor correspondente que pode ser sacado, podendo ser usado como prova para um credor. Quando o dinheiro será pago? Segundo o Banco Central, o prazo de devolução é em até 12 dias úteis, se você solicitou o seu valor pelo SVR, clicando em “Solicitar por aqui”, e indicou uma chave PIX. Em casos diretamente combinados com a instituição financeira correspondente, não há prazo definido. Como não cair em golpes Segundo o site do BC, a melhor forma de se precaver é: Não fazer qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores: todos os serviços do Valores a Receber são totalmente gratuitos. Não clique em links que indicam confirmação de dados pessoais: o BC não envia links nem entra em contato com você para tratar sobre valores a receber ou para confirmar seus dados pessoais. Somente uma instituição que aparece no Sistema de Valores a Receber é que pode te contatar e ela nunca irá pedir sua senha. Não clique em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram. O único site para saber informações sobre valores a receber é valoresareceber.bcb.gov.br

[ad_2]

G1.globo

Posts Recentes
Formulário

Quer receber noticias ?

Preencha com seu E-mail, WhatsApp e vamos te enviar novidades

Compartilhe nas redes sociais

Artigo relacionados